Mamoplastia de aumento / silicone

A mamoplastia de aumento é a cirurgia para aumentar o volume das mamas, o que conseguimos com a implantação de próteses de silicone. Os primeiros registros de tentativas de aumento mamário são de 1890, sendo que diversos materiais foram testados. Em 1962, teve início a mamoplastia com próteses de silicone similares às atuais, sendo a americana Timmie Jean Lindsey, a primeira paciente a receber tais implantes. Ao logo dos anos, o material das próteses evoluiu bastante, aumentando sua segurança e confiabilidade. Há próteses de tamanhos e formatos diferentes que melhor se adéquam a cada caso.

Quem precisa usar próteses de mama?

Leia mais

As pacientes que nos procuram geralmente queixam-se de seios pequenos, perda de volume excessivo após a gestação ou perda de peso, mamas ptosadas (caídas), assimetria de volume ou de forma, ou simplesmente desejam melhorar o contorno corporal.

Com que idade posso por uma prótese de mama?
Não existe uma idade mínima limite, mas por segurança aceitamos pacientes que tenham no mínimo 16 anos. São necessários alguns cuidados como:

  • O crescimento das mamas deve ter estacionado há pelo menos 1 ano.
  • Ter maturidade emocional suficiente para se submeter a uma cirurgia plástica e entender seus riscos e benefícios.
  • Apoio da família e amigos.

Como escolho o tamanho da prótese?
Avaliamos um conjunto de fatores, como: desejo da paciente; tamanho atual da mama; elasticidade da pele; diâmetro da base da mama; distância entre o mamilo e o sulco da mama; largura do tórax; altura da paciente; entre outros aspectos do exame físico.

Quais os tipos de prótese?
Quanto ao formato, elas podem ser redondas ou anatômicas. Quanto à superfície, podem ser lisas ou texturizadas. Quanto ao perfil, podem ser desde baixo até superalto.

Onde fica a cicatriz?
As cicatrizes de uma mamoplastia de aumento podem ser localizadas no sulco, logo abaixo da mama, ao redor da aréola ou na axila. A grande maioria dos cirurgiões prefere a via do sulco mamário. A cicatriz fica bem escondida, inclusive pelo biquíni, tem pequena extensão e costuma ser de ótima qualidade.

Qual o tipo de anestesia?
A decisão é tomada pelo anestesista em conjunto com a paciente e equipe cirúrgica. Ele avalia detalhes da situação de saúde da paciente. Pode variar de uma anestesia local com sedação até uma anestesia geral.

Vou sentir dor no pós-operatório?
A mamoplastia de aumento não é uma cirurgia que costuma causar muita dor no pós-operatório. Normalmente analgésicos simples que usamos de rotina são suficientes para evitar a dor.

Preciso usar dreno?
Apenas em casos de exceção deixamos um dreno.

Colocar prótese aumenta o risco de câncer de mama?
Recentemente foram realizados vários estudos nos EUA incluindo em torno de 500.000 mulheres que utilizam próteses de mama, mostrando não haver relação entre uso de próteses e aumento do risco de câncer de mama, assim como para outras doenças da mama.

Colocar prótese atrapalha amamentar?
A prótese é posicionada por baixo da glândula mamária ou do músculo peitoral. Desta forma, não há comprometimento da amamentação por não se alterar em nada a glândula mamária. Também não há evidências científicas de eliminação de qualquer partícula de silicone no leite materno.

Mamoplastia redutora

A mamoplastia redutora é a cirurgia que tem o objetivo de reduzir o volume das mamas. A mama é constituída basicamente pela glândula mamária e por gordura. Seu volume pode estar aumentado por influência hormonal ou por ganho de peso. Talvez seja a cirurgia plástica com o maior número de técnicas propostas, no entanto, como a mama precisa ser reduzida em suas três dimensões, as cicatrizes são grandes, independente da técnica empregada.

Quem precisa submeter-se à redução mamária?

Leia mais

As pacientes geralmente queixam-se de dor nas costas e nos ombros em virtude do peso da mama, mas também por acharem o volume das mamas desproporcional ao corpo, ou ainda por existir diferença de volume notável entre elas.

Com que idade posso submeter-me à redução mamária?
Não existe uma idade mínima limite, mas por segurança aceitamos pacientes que tenham no mínimo 16 anos. São necessários alguns cuidados como:

  • O crescimento das mamas deve ter estacionado há pelo menos 1 ano.
  • Ter maturidade emocional suficiente para se submeter a uma cirurgia plástica e entender seus riscos e benefícios.
  • Apoio da família e amigos.

Qual o tipo de anestesia?
A decisão é tomada pelo anestesista em conjunto com a paciente e equipe cirúrgica. Pode ser uma anestesia peridural associada à sedação ou uma anestesia geral.

Onde ficam as cicatrizes?
A extensão das cicatrizes depende do volume das mamas. Geralmente situam-se ao redor da aréola, abaixo do sulco mamário e outra na vertical, ligando a aréola ao sulco, deixando um formato parecido com uma âncora. A qualidade da cicatriz depende bastante da boa capacidade de cicatrização do seu corpo.

Vou sentir dor no pós operatório?
A cirurgia de mamoplastia redutora não costuma causar dor importante no pós-operatório. Analgésicos simples geralmente controlam bem a dor.

Preciso usar dreno?
Apenas em casos de exceção usamos drenos.

Ainda poderei amamentar após esta cirurgia?
A grande maioria das mulheres não tem problemas para amamentar após esta cirurgia. Apenas casos que necessitam grande alteração da estrutura da glândula mamária têm esse risco aumentado.

Posso reduzir minhas mamas e colocar próteses?
Atualmente esta conduta tem sido motivo de grande discussão nos congressos de cirurgia plástica. Para casos selecionados, esta conduta é possível sim.

Mastopexia

A mastopexia é a cirurgia para elevar a mama que está ptosada (caída), sem necessidade de reduzir seu tamanho. Muitas mulheres podem ter as mamas de volume aceitável, mas que caíram em virtude do excesso de pele, o que pode ocorrer após perda de peso excessivo ou importante redução do volume mamário após amamentação. Há graus variados de ptose mamária.

Posso fazer a mastopexia e usar próteses?

Leia mais

Sim. É bastante comum fazer a mastopexia para levantar a mama e usar uma prótese para dar mais firmeza à mama, principalmente nos casos em que os tecidos naturais da mama são bastante flácidos. Como o objetivo não é aumento de volume, geralmente usamos próteses de volume menor.

Qual o tipo de anestesia?
A decisão é tomada pelo anestesista em conjunto com a paciente e equipe cirúrgica. Pode ser uma anestesia peridural associada à sedação ou uma anestesia geral.

Onde ficam as cicatrizes?
A extensão das cicatrizes depende da quantidade de sobra de pele das mamas. Geralmente situam-se ao redor da aréola, abaixo do sulco mamário e outra na vertical, ligando a aréola ao sulco, deixando um formato parecido com uma âncora. A qualidade da cicatriz depende bastante da boa capacidade de cicatrização do seu corpo.

Vou sentir dor no pós operatório?
A cirurgia de mastopexia não costuma causar dor importante no pós-operatório. Analgésicos simples geralmente controlam bem a dor.

Preciso usar dreno?
Apenas em casos de exceção usamos drenos.

Ainda poderei amamentar após esta cirurgia?
A grande maioria das mulheres não tem problemas para amamentar após esta cirurgia. Apenas casos que necessitam grande alteração da estrutura da glândula mamária têm esse risco aumentado.

Ginecomastia

Ginecomastia é a condição em que as mamas se desenvolvem além do normal no sexo masculino. Ocorre em virtude do excesso de estrogênio circulante, o que pode ser causado por certas doenças, uso de alguns medicamentos ou obesidade. O excesso de peso corporal também pode levar a acúmulo de gordura na região mamária e simular uma ginecomastia. O desenvolvimento do broto mamário no período da puberdade é muito comum, temporário, e não é considerado ginecomastia. A ginecomastia pode ocorrer em apenas uma das mamas.

Como tratar a ginecomastia?

Leia mais

Há graus variados de ginecomastia, com excesso de glândula mamária, com excesso de pele ou de gordura. Podemos então necessitar retirar parte da glândula, retirar pele ou fazer lipoaspiração da gordura local. Cada caso deve ser analisado individualmente. Em alguns casos o paciente será encaminhado previamente para avaliação com endocrinologista, para excluir doenças que necessitem tratamento medicamentoso, e não cirúrgico.

Preciso fazer exames das mamas?
Sim. Como há desenvolvimento da glândula mamária, o paciente deverá submeter-se a uma ultrasonografia mamária na busca de possíveis doenças da mama. Em casos de mamas maiores, pode até ser necessária uma mamografia.

Ginecomastia causa câncer de mama?
Não. A ginecomastia geralmente não causa câncer de mama, mas como o homem também tem glândula mamária, o câncer de mama é um dos possíveis diagnósticos para aumento de volume da mama que deve ser excluído por exames como a ultrasonografia. A única exceção é a rara Síndrome de Klinefelter, em que a ginecomastia pode sim desenvolver câncer de mama.

O que é pseudoginecomastia?
É exatamente a condição que já comentamos, em que a obesidade pode levar ao aumento do volume das mamas sem que haja desenvolvimento da glândula mamária. Para tratar, pedimos ao paciente que perca peso e após isto fazemos lipoaspiração para retirar a gordura excedente.

Pode ser necessário operar o broto mamário da puberdade?
Sim. O broto mamário que ocorre na puberdade costuma regredir espontaneamente em até 2 anos, mas em alguns casos pode não regredir ou até evoluir, gerando a necessidade de cirurgia.

É necessário usar dreno após a cirurgia?
Sim. Ao operarmos uma ginecomastia, são feitos grandes descolamentos na área, gerando a necessidade de uso de dreno para evitar hematomas.

Qual o tipo de anestesia?
A decisão é tomada pelo anestesista em conjunto com a paciente e equipe cirúrgica. Geralmente é feita uma anestesia local com sedação ou uma anestesia peridural.

Onde ficam as cicatrizes?
Depende da extensão da ginecomastia. Na maioria dos casos ela se situa no bordo da aréola, ficando bem camuflada. Quando é necessário retirar pele, cicatrizes podem se estender para fora da aréola.

Essa cirurgia dói muito?
Geralmente analgésicos comuns evitam a dor no pós-operatório.